Diário

25/06/2014 - 19:02 | Postado por:
46 – Hakuna Matata 25/06/2014
Entardecer em Stone Town - Zanzibar

Entardecer em Stone Town – Zanzibar

 

Vindo de trem da Zâmbia para a Tanzânia, sem internet, não pude reservar hotel. Aproveitei o fato de a estação ser perto do porto e resolvi ir direto pra Zanzibar, um dos destinos mais sonhados por todos os tipos de viajantes e também por casais em lua de mel, atraídos por suas águas transparentes,  paisagens paradisíacas e ambiente muito acolhedor, além do lado histórico, sendo um Patrimônio declarado pela Unesco.

Zanzibar tem uma história muito interessante. É um arquipélado formado por duas grandes ilhas, Zanzibar e Pemba, que desde o ano 1.000 era um porto muito procurado pelos viajantes no oceano Índico. Na língua Swahili, ou Suaili, eram chamadas Unguja, mas os árabes as chamavam Zanj-Bar, que na língua árabe significa Costa dos Negros. Por ser muito conhecida por causa das especiarias, principalmente cravo, canela e pimenta, esse nome acabou permanecendo. Desde 1.100 Zanzibar foi ocupada pelos muçulmanos. Em 1.499 os portugueses a ocuparam, sendo retomada pelos árabes em 1.698, quando começaram a levar especiarias e escravos para todo o oriente. Em 1.963 Zanzibar declarou sua independência do mundo árabe, mas um ano depois, uma revolução popular optou por unir o país a Tanganhica – hoje Tanzânia – mas com a condição de manter-se autónoma, isso é, eleger seu próprio presidente. Por isso, quando vamos á Tanzânia, temos o visto no passaporte e ao ir até Zanzibar, embora seja parte do país, o passaporte é carimbado novamente.

Até hoje 99% da população é muçulmana. Isso quer dizer que você não vai ver nenhuma mulher com cabeça e ombros descobertos, nem homens de bermuda andando na rua. E se precisar pedir informações a um casal, deve se dirigir somente ao homem. E jamais poderá cumprimentar a mulher dando-lhe a mão.

Outras curiosidades é que aqui é a terra natal do cantor Freddie MercuryE aqui também é o lugar onde você pode presentear uma mulher com o que há de mais precioso e caro no mundo das jóias. Tanzanite é o nome da pedra preciosa mais rara no planeta. É 10 vezes mais cara e mais rara que o diamante. É encontrada nas encostas do monte Killimanjaro, e é conhecida como a pedra da geração, pelo fato de que sua extração, no ritmo atual, garantir que não sobrará nada para a próxima. Fiquei realmente preocupado.

Beachboy, o seu guia em Zanzibar

O centro antigo de Zanzibar, chamado de Stone Town é o lugar onde todos os turistas ficam hospedados pelo menos uma noite. É um amontoado de ruelas estreitas onde só circulam pequenas motos, bicicletas e pessoas. E você vai ficar muito curioso para conhecer. Mas sair do hotel sem - um guia - é certeza de horas dando voltas nesse labirinto de padarias, lojinhas de roupas e souvenires, mercado de peixe e carne, empresas de turismo, hotéis e mesquitas. Mas não tem como ficar perdido muito tempo. Sempre haverá um guia à espreita na saída dos hotéis, restaurantes e pontos de passagem de turistas. No  portão de saída do porto então, cada viajante é disputado na base da cotovelada. Não há como escapar. Esses são os Beachboys! Vão arrancando as malas, mochilas e sacolas das suas costas e mãos, por mais agarradas a elas que estejamos. Se você conseguir segurar as suas, o guia  nunca desiste:  ”OK, então eu vou apenas caminhar junto, conversar com você, porque nós gostamos muito de conhecer as pessoas.” Maaas, quando você chega ao hotel, depois de cansado de olhar o mapa em todas as posições, o seu novo amigo se adianta, entra na sua frente, e diz à recepcionista do hotel que lhe trouxe um hóspede, exigindo sua comissão! E sua diária automaticamente sobe!

Nas ruas, não tem como andar desacompanhado. A história é a mesma. Mas não é nada que preocupe. Se você relaxar e pensar que uns trocados não lhe farão tanta falta, e conversar mesmo, falar de seu país, sua viagem, também vai ouvir uma boa história, conhecer a família dele e saber mais sobre a vida na ilha e os costumes dos muçulmanos. E descobrir que os 99%  deles, excluem todos os guias! Sim, os guias são católicos. Todos! A explicação é que os muçulmanos se recusam a acompanhar os ocidentais infiéis e impuros, que usam roupas impróprias, comem carne de porco e bebem álcool. Para isso são importados da capital da Tanzânia, Dar Es Salam, as pessoas que possam prestar o serviço nas ruas, além de serem empregados em todos os hotéis de Zanzibar, para atender os desejos dos ocidentais, dos mais simples aos mais exigentes. Conclusão: Salve os Beachboys!!

Nungwe ou Matemwe?

Ao chegar em Zanzibar, após conhecer as ruelas de Stone Town, o viajante quer mesmo é ir ver de perto as famosas praias de água cristalina do oceano Índico. E as opções de onde ir são duas. Nungwe, a praia mais famosa, com boa infraestrutura e cheia de resorts para todos os recheios de bolsos, para onde vão a quase totalidade dos turistas ou Matemwe, uma praia mais “selvagem” e com bem menos agito, ocupada praticamente por pescadores locais. Em Nungwe se encontram mais opções de hospedagem e os melhores restaurantes, e as noites sempre tem agito garantido. Os preços também são superiores. Em Matemwe você ainda pode passear tranquilo, sem os beachboys. E também pode comprar peixe fresquinho na chegada dos veleiros dos pescadores. Para se hospedar tem opções bem baratinhas. Paguei US 20 por dia. Mas tem também alguns resorts muito bons, como o Matemwe Retreat. O único senão, é que, como a praia é “selvagem” os locais costumam usá-la como banheiro. Ao voltar para o hotel você pode achar que o mundo apodreceu à sua volta. Culpa dos seus chinelos, se estiver usando-os. Eu fiquei em 10 dias em Matemwe e depois fui para Nungwe. Lá fiquei só um dia. Achei caro e as belezas naturais incomparáveis. A outra diferença é que nas duas, o passeio mais vendido é a visita a uma ilha linda, em forma de coração, Mnemba, para passar o dia e mergulhar nos corais. Acontece que a ilha é do lado de Matemwe, fazendo com que o passeio custe só US 20 com lanche incluído, enquanto em Nungwe não sai por menos de US 50.

Swahili, você já conhece!

A primeira coisa que você vai ouvir quando chegar aqui é uma saudação:  ”Jamboooo mzungooooo !!!” Relaxe, ninguém o estará ofendendo. É só um: “Bem vindo gringo!!!

E é no dia a dia da ilha que você vai ouvir outras palavras que lhe soarão muito familiares. Hakuna Matata!!! E tem o mesmo sentido que tinha no famoso desenho animado Rei Leão. “Não esquenta”, “relaxa”, “tá tudo bem”. E realmente, o clima na cidade e nas praias é de relax, preguiça, deixar o tempo correr, aproveitar o momento, deixar os problemas de lado. Isso é Zanzibar!

Hakuna Matata!!!