Diário

18/05/2012 - 13:35 | Postado por:
5- Aprendendo … de tudo um pouco. – 18/05/2012

Não fazia ideia que demoraria tanto para sair do Peru. No final me senti um pouco cansado de tanta areia, pó e … lombadas. Tem por tudo e  por nada.

Antes de sair de Nazca fui conhecer os Aquedutos de Nazca edificados pelos antigos Incas. São Poços gigantes feitos de pedra,em forma de caracol e perfurados em linha, trazendo água para a cidade. Caprichosos e inteligentes. Cada poço é uma obra de arte.

Saindo da cidade, logo parei pra saber algo sobre as famosas “linhas de Nazca”. Parando na estrada, tem uma torre metálica. Lá de cima se pode ver dois do desenhos:  a mão e a árvore. No céu alguns aviões levando turistas para uma visão total  da área dos desenhos que estão espalhados por 50 km2 de deserto. Tem gente estudando o “mistério” até hoje, face as exatidões matemáticas.

Em frente para outro  país!

E não é que na saída deu zebra!

Faltavam uns 300 km para a fronteira do Equador e haviam duas saídas pela frente. O GPS não vinha sendo nada confiável, serve mais pra  sair na foto, atrapalhar digo, que orientar. Antes das saídas tinha um posto de combustível. Aproveitei para completar o tanque e perguntar. Parei o carro em frente a bomba de Diesel, dei a chave pra moça e pedi pra completar. Fui falar com um taxista. Explicação demorada. Na volta …

- “listo, está full!”

Tanque cheio, paguei e saí.

Logo chego. Animado pra mudar de país. Andei uns 150 km e achei que o motor estava com um barulho diferente. Fui seguindo e não gostando muito do que ouvia. Até que resolvi parar em outro posto de combustível. Saí do carro e o frentista veio me oferecer o jornal com a notícia de que o “Nostradamus” estava prevendo o fim do mundo para o próximo 05/06 …”Terremotos e Tsunamis!!” Achei que ia demorar muito para ler e fui perguntando onde havia um local pra “troca de aceite” (óleo) achando que o barulho poderia ser o óleo já fino demais.

- logo abajo señor!!

Fui ligar o carro pra sair e …… nada! De novo e … nada! O motor se recusava a trabalhar. Maus tratos!?

Quando o carro apresenta algum problema a primeira coisa que faço e começar por lembrar o que foi mexido por último.

Combustível!!!?? Será?

Sim, só pode. Eu não havia acompanhado e a moça deve ter colocado combustível errado. Fui cheirar a saída do tanque onde ela disse que tinha lavado por derramar um pouco.

Gasolina! Hummm …. isso é problema. Mas …..rsssssssssss, sem isso a viagem não tem graça. Só rindo. Vontade de chorar!

Bem, já fui pensando que ia poder comer algo, umas bananas, até resolver tudo. E ver o movimento do povoado. E ler o jornal também oras!

Demorou umas duas horas. Mas tiramos o tanque – aja parafusos – lavamos tudo, mangueiras, tanque, trocamos o  filtro – ainda bem que a Euro Import me deu 2 filtros extras – e … pronto. Bastava pagar pra encher o tanque de novo, e pagar o mecânico que veio ajudar.

- “A fronteira é logo adiante señor!”

Que bueno,  poderia entrar no Equador ainda de dia e seguir um bom trecho adentro.

Foi  o que fiz.

Logo de cara, a mudança da qualidade da estrada foi de chorar. Buraco e mais buraco. Eram só 150 km até a cidade onde pretendia dormir cedinho.

Hummmmm, cedinho?? Levei só 6 horas pra chegar! E achando que o carro tava se desmanchando. Madeira dos móveis trepidando, panelas batendo, caixa de brinquedos chacoalhando de um lado pro outro e eu já não sabia onde aplicar o ouvido. O que era do carro, e importante, e o que era de um monte de outras coisas que levo, e que nem tenho como acomodar direito.

Prá ajudar, neblina, e vacas! Muitas. Uma chegou bem pertinho de testar o para choque que o Junior da Ekron montou.

Aja cansaço e fome. Parei num boteco. Só achei confiável uma água e, prá salvar o dia, um iogurte. Bom! Muito!

Ás 23:00 cheguei. Lugar sombrio. Ruas todas enlameadas. Nada aberto. Uma neblina gelada dando um ar de filme de suspense.

Melhor dormir. Amanhã vai ser bem melhor!

Cedinho saí em direção a Guayquil.

Comer? Depois penso nisso!!

Os primeiros 100 km terríveis. Mas aí a coisa começou a melhorar.

Nada como um dia após o outro. Parecia outro país. Estradas modernas. Quase sem lombadas. Nas pistas simples, em intervalos, é feito um alargamento, “para ultrapassagem”, fazendo que não se forme filas.

Resultado. Às 14 horas já havia chegado.

Após três dias sem comer  nem descansar direito e, como o motor do carro já com 13.000 km, resolvi levá-lo a uma concessionária Land Rover pra troca de óleo, e uns “carinhos”.

Surpresa. Guayaquil é uma cidade e tanto. Tem aproximadamente 4 milhões de habitantes. E apesar de tudo achei muito simpática. Fui me deixando levar pelo fluxo do trânsito para dar uma “voltinha”. Logo, logo decidi pedir a um motorista de táxi me comboiar até a concessionária. Isso levou umas 2:30 horas!

Deixei o carro pro pessoal da Autec. Gente muito simpática e prestativa. Como todo admirador da marca Land Rover, todos vieram curtir um pouquinho o carro, que logo ganhou mais um adesivo. Viagem, aventura, desbravamento, sair da mesmice. Esse é um espírito que provoca admiração.

Bem, o dia teve de tudo. No final tudo bem. Mas repassando ….. Até aprendi uma lição nova!

Foi logo de manhã cedo. Passei por uma escola, num lugar onde a estrada ainda era bem ruinzinha. Estava devagar e ouvi vozes de crianças. Apesar de cansado e louco pra ir em frente, fiz meia volta.

Parei em frente a escola, já vendo os portões abertos. Barulho típico de escola. Uma professora gritando, alunos em algazarra. Fui para parte de trás do carro escolher alguns presentes. Uma bola … uma boneca … um quebra cabeça e, …. os mapas para a “Profe” como dizem por aqui. Demorei um pouquinho, afinal não está tudo bem a mão!! Deixei tudo sobre o banco dianteiro.

Quando saí, silêncio!!! Portão fechado com cadeado!!

Uè!? Será  que demorei tanto e todo mundo foi embora? Fui indo até o portão. Vi uma mulher.

- Buenos dias Señora!!

- Hummmmmmmmm…. grrrrrr!!

- Buenos dias Señoraaa!!

- Que passa? Que quieres?

- Yo soy de Brassill! Tengo un regallo para los niños!!

- Hummmm …passa que los niños estan todos con miedo y se fueran todos para atrás de la escuela!!

- Entonces voy solamente dexar los regallos e hacer donacion de mapas-múndi e do cuerpo humano. Está bien?

Enquanto a gente ia se estranhando, as crianças já tinha aparecido e tinham até escutado a conversa. Estavam esfregando as mão e rindo.

Fui até o carro pegar os regallos e os niños começaram a fazer uma gritaria.

- Quietos! Puede que el les meta um balaço en la cabeçaaa!

Fiz de conta que não entendi nada e levei os regallos. Joguei a bola por cima do portão e a meninada já saiu na correria. Como tinha só duas meninas, dei duas bonecas. Prá Profe, um maço de folhas de papel em branco e os mapas.

- Se puéde sacar una foto?

- No !! Los niños tienem miedo!! Vamos todos!!!!

E assim foi!

E eu com a idéia que em cada escola, ao dar os presentes, iria ter fanfarra, discurso, mil agradecimentos.

Que nada.

Se queremos fazer algo. Façamos. Sem ficar imaginando reações positivas ou esperar nada em troca.

Há que se respeitar os hábitos e o jeito de cada pessoa.

Lição do dia!! Simplesmente fazer a nossa parte.

Até a próxima. Acabou de chegar aqui no quarto  um copo de suco de abacaxi, 3 filés de frango, arroz, 2 ovos fritos, maionese, brócolis, cenoura e couve-flor….