Diário

18/09/2012 - 02:41 | Postado por:
23- Momentos Perfeitos! 18/09/2012

Viajando me sinto como se estivesse em férias permanentes.

Bem, quase! Aqui na Florida resolvi tirar férias das férias. Esse tempo extra na vida, acho que é o sonho de muitos!

To aprendendo muito sobre algumas coisas.

No livro “Claro como o Dia”, o empresário americano Eugene O”Kelly, após um diagnóstico que lhe dava menos de 3 meses de vida, decidiu mudar sua forma de viver. Olhou para traz dos seus 53 anos e surpreendeu-se ao perceber que, apesar de ser milionário, conseguia se lembrar de, em apenas três ocasiões, ter se sentido realmente feliz, ter vivido momentos em que pôde dizer: “Estou me sentindo extremamente feliz e realizado!” Sentiu-se como se toda sua vida não tivesse sentido algum. Decidiu então que, cada momento,  até o dia de sua morte, seriam de total felicidade. E passou a arquitetar situações que lhe trouxessem o máximo de felicidade. “Momentos Perfeitos”, como passou a chamá-los. Listou os mais queridos amigos de infância, familiares e dedicaria um dia inteiro para cada um em especial. Passearia de barco, comeria pipoca e sorvete no parque, conversaria muito á sombra das árvores, se bronzearia sob o sol nas praias…

Tudo perfeitamente planejado! Teria assessores que tratariam de todos os detalhes. Dispunha de todo o dinheiro que fosse necessário.

E tudo começou a funcionar perfeitamente. Cada novo dia lhe trazia felicidade equivalente a um ano. E cada minuto valia por dias …

Mas, num dia marcado para um  passeio de barco, num lago de águas azuis e tranquilas, choveu muito e fez frio!

Não foi um Momento Perfeito!

E percebeu que muitos outros momentos poderiam ser “perdidos”  como aquele. O planejamento não podia prever a natureza! E a perda desses momentos lhe trouxe novas frustrações. Passou a planejar os encontros em locais que não dependessem do tempo.

Mas, aconteceu um dia em que um dos convidados não pôde vir. E um outro que estava com dor. E outro dia houve, em que ele próprio não estava bem.

Teve que refletir muito. Afinal, muitos de seus momentos não estavam sendo perfeitos e nem trazendo a alegria esperada.

Após muitas frustrações, chegou a conclusão que a felicidade é um sentimento interno. Os fatores externos influenciam muito pouco. Se o sol brilha ou se chove, se está calor ou frio, nada disso impede de “estarmos” com as pessoas, olhar nos olhos , dar risadas, dedicar-se totalmente a um certo  momento, como ele se apresentar.

E, dessa forma, todos os momentos poderiam se tornar “Momentos Perfeitos!”

Após a leitura desse livro também passei  a refletir muito. Acrescentei muita qualidade à minha vida.

E, com o tempo, aprendi também que não preciso me preocupar em transformar todos os meus momentos em “Perfeitos”. Isso passaria a ser mais uma preocupação. Nada precisa ser perfeito.

A perfeição é estar “estar vivo!”

E a consciência dessa realidade é o que me traz a verdadeira felicidade. Aprendi a valorizar cada minuto, cada tarefa, cada pessoa.

Nessa pausa da viagem, tive o privilégio de estar um bom tempo em família com meu irmão Marcelo, Andréia minha cunhada  e filhos.

E realmente, sempre que podíamos, estávamos conversando. Sobre tudo e mais um pouco. Em vez de longos passeios a parques e shopings, escolhíamos “ficar em casa”. Não fizemos teatro em momento algum. E aqui  também não me senti uma visita. Rimos e choramos até!

Uma certa noite eu o Marcelo voltamos da piscina já um pouco tarde. E tinha uma visita inesperada na casa. Teríamos que aguardar que saíssem pra poder sentar á mesa e comer. Logo me veio a ideia de ficarmos todos juntos e fazer um jantar, convidando as visitas. Demoraria um pouco, ou bem mais, visto que sequer tinha carne suficiente para todos. Antes teríamos que ir ao mercado. Mas não podia perder a oportunidade de curtir aquele momento da melhor forma possível. Fomos rapidinho comprar a carne e outros ingredientes. Já era tarde,  a fome estava incomodando, tinha muita gente, bagunça …

E …. qual a importância disso tudo?

O meu “strogonoff” seria a perfeição do momento! …tsc…tsc… Ainda teria o vinho, os pistaches… e …cada um de nós!

Não com suas histórias, piadas e sorrisos e simpatia. Mas apenas com sua presença!

Lembrei das fotos lindas de momentos perfeitos em família, e fiquei feliz ao perceber que não é a alegria estampada nos sorrisos que diz sobre a felicidade ou a perfeição do momento. Basta que as pessoas estejam ali, presentes!!

A perfeição é estar vivo!

O Momento Perfeito!